ara além de qualquer padrão, a sensualidade feminina prevalece. É isso que o ensaio “Eu continuo mulher”, da fotógrafa potiguar Anne Queiroz, de 22 anos, quer mostrar: a beleza e auto-estima de mulheres com deficiência física. A obra entra em exposição nesta nesta quinta-feira, em Natal, e segue aberta ao público até o dia 15 de dezembro.

As fotografias de Anne Queiroz fazem parte da exposição o “Multiverso Fotográfico”, que contempla obras de 23 estudantes de fotografia e começa às 19h na Pinacoteca do Rio Grande do Norte.

De acordo com Anne, o objetivo de seu trabalho, intitulado “Eu Continuo Mulher”, é desenvolver a sensualidade de mulheres que possuem algum tipo de necessidade especial. “Quero mostrar que a cadeira de rodas ou alguma má formação não tira a beleza de uma mulher”, disse ela, que se prepara para a sua primeira exposição profissional.

Um das modelos é Juline Caroline, de 21 anos, que se tornou cadeirante após levar um tiro de um ex-namorado, há três anos. Ela conta que sempre gostou de fotografia e maquiagem, mas foi sua primeira vez em um ensaio profissional. “Era eu em cima da cama e me maquiando, tirando fotos. Agora estou me sentindo o máximo”, disse.