O prefeito de Parelhas, Alexandre Petronilo garante não ter tido outra alternativa, e responsabilizou empresas que venceram licitações na gestão passada, e que não concluíram as obras contratadas. Até para seu aliado, o ex-prefeito Francisco Medeiros sobrou responsabilidade.

De acordo com Petronilo, a postura foi uma das condições para que o município pudesse liberar os recursos bloqueados, e retomar as obras inacabadas, dentre elas creches e quadras no município.

Alexandre disse que desde a transição de seu governo já tinha conhecimento destas situações envolvendo obras inacabadas, e reconhece que o ex-prefeito Francisco fez o pode para resolver a situação.

“Estamos muito preocupados com isso, principalmente com o caso da Creche-Modelo que está quase concluída, faltando apenas 7%, mas acabou entrando para o status de obra paralisada, e a nossa preocupação é que estamos buscando a consultoria de engenharia alimentar o sistema, mostrar o que já foi feito, pedir ao MEC que reconsidere o que foi feito na obra, dentro das condições que ela está hoje, e que os alunos estejam dentro da creche. Falta apenas uns 7% para conclusão, mas o MEC lançou como obra inacabada, e Parelhas está impedida de receber recursos federais”, explicou Alexandre ao Panorama 95 (Rural FM).

Crédito: Marcos Dantas